Antevisão: «Coriolano» – A estreia na realização de Ralph Fiennes

O nome de Ralph Fiennes é bem conhecido dos espectadores. O actor que viu o reconhecimento público com A Lista de Schindler, interpretou O Fiel Jardineiro e deu vida a Voldemort na saga mágica Harry Potter dispensa apresentações e não deixa dúvidas quanto à sua versatilidade e capacidade interpretativa. Já enquanto realizador, Ralph Fiennes manteve-se, até agora, um ponto de interrogação. No entanto, estamos prestes a conhecer esta sua nova faceta, pois é pela mão do actor e agora realizador que nos chega ao grande ecrã Coriolano, adaptação da obra homónima de William Shakespeare.

O filme conta a história de Caius Martius Coriolanus (Ralph Fiennes, que para além de realizador é também produtor e actor, assumindo o lugar de protagonista no filme), um soldado que é louvado por Roma, mas não tem pudor em assumir o seu desprezo pelo povo. Subjugado ao poder da mãe (Vanessa Redgrave) e manipulado pelos que o rodeiam, acaba exilado e promete vingança à sua cidade. Entretanto, fará frente a Tullus Aufidius, personagem interpretada por Gerard Butler, que aparece como uma segunda “personagem estrela” do filme.

Destaque ainda para Jessica Chastain. Mulher de Caius Matius em Coriolano, a actriz foi possivelmente uma das maiores revelações de 2011. Em Árvore da Vida protagonizou magnificamente a mulher oprimida que perdera um filho, mas foi em As Serviçais que a doce Celia Foote caiu nas honras dos críticos, valendo-lhe uma nomeação para o Óscar de Melhor Actriz Secundária. Em Coriolano, vale por isso a pena estar de olhos postos nesta promissora actriz que tão bem nos tem habituado às suas sublimes e elegantes actuações.

Aparentemente, o filme de Fiennes tem os ingredientes certos. Para além dos bons actores, conta com a participação de John Logan, argumentista de O Último Samurai e de Gladiador (só por isto, provavelmente já é merecedor de uma ida ao cinema por parte de alguns fãs do género) e trata-se de uma adaptação de Shakespeare – diálogos ricos e um enredo forte são certos. Além disso, obviamente que a disparidade entre um romance clássico (escrito em 1608) e a actualidade é tão grande que a curiosidade por descobrir o resultado final desta transposição é mais que muita. O factor surpresa é, de facto, a realização de Ralph Fiennes, e quanto a isso é esperar para ver.

Pelo pouco que trailer permite desvendar, espera-nos um filme de acção, com cenários de guerra, boas interpretações e muita tensão, classificado pelo The Independent como “estimulante e primordial” e que o The Guardian considera “um triunfo”. Coriolano estreia amanhã, dia 22 de Março, nos cinemas portugueses.

1 Comentário

  1. um filme diferente, que ousa adaptar uma obra de shakespeare, mantendo-se fiel ao seus diálogos originais,utilizando no entanto cenários e uma realidade contemporânea.
    Destaco ainda a analise critica efectuada pela vossa colaboradora ao filme, demonstradora de capacidade de sintese e lucidez quanto baste.

Deixar uma resposta

O seu email não será publicado. Campos de preenchimento obrigatórios *